Manipulação

A manipulação de medicamentos é hoje uma ótima alternativa para se adquirir medicamentos de 
qualidade a preços mais acessíveis, tendo em vista o alto custo dos produtos industrializados. 
No entanto, escolha com critério a farmácia que irá manipular o seu medicamento, 
verificando a idoneidade e a estrutura da farmácia. Dois fatores são fundamentais 
no momento da escolha do medicamento manipulado em relação ao industrializado:

 
1 - Custo: O remédio manipulado custa geralmente bem menos que o industrializado 
(às vezes até 80% menos). Os motivos pelos quais o remédio manipulado é mais barato
são vários:

- A indústria investe milhões de dólares em pesquisa de novos 
fármacos e embute este custo nos seus medicamentos.
- A indústria também gasta milhares de dólares com propaganda 
junto aos médicos e na mídia em geral.
- O custo de produção de uma indústria de medicamentos é bem maior 
que o de uma farmácia de manipulação.
- As indústrias farmacêuticas são empresas mercantilistas, isto é, elas 
visam o lucro e consideram os medicamentos como meio para alcançar 
seus objetivos comerciais, para isso empregam todos os tipos de 
artifícios que qualquer outra empresa utilizaria para vender os 
seus produtos (propaganda, campanhas promocionais, estímulo 
ao consumo, etc).

2 - Qualidade: Quanto à qualidade o remédio manipulado pode ser 
comparado a um medicamento industrializado. As matérias primas 
adquiridas pela farmácia de manipulação são as mesmas compradas 
pela indústria e sempre vêm acompanhadas com os laudos de análise 
do fabricante e do distribuidor, além de também serem analisadas na 
farmácia no momento do recebimento. 

Além do mais, a farmácia de manipulação tem hoje estrutura e legislação 
semelhante a uma indústria, sendo obrigada a fazer controle de qualidade das matérias-primas, 
a monitorar a qualidade dos produtos acabados, fazer controles em processo, etc. Portanto, 
o medicamento manipulado em farmácias de confiança, tem uma boa qualidade associada 
a um melhor preço.



 

 

 Vantagens da manipulação:

Além do preço, a manipulação oferece uma série de vantagens:
- Possibilidade de individualização das dosagens (o médico pode prescrever dosagens mais fortes ou mais fracas de acordo com a necessidade do paciente).
- Possibilidade de associação de fármacos (o médico pode colocar vários medicamentos na mesma fórmula)
- Possibilidade de produzir o medicamento na quantidade que o cliente necessita, evitando as sobras e gerando economia.
- Possibilidade de produção de medicamentos novos que ainda não foram produzidos pela indústria ou aqueles que já saíram do mercado.

Conheça um pouco mais sobre os medicamentos manipulados através das seguintes perguntas e respostas:

 Por que os medicamentos manipulados são mais baratos? 
A indústria gasta muito em pesquisa para o desenvolvimento de novos fármacos e também com propaganda junto aos médicos e na mídia em geral e este custo precisa ser embutido nos medicamentos. A farmácia de manipulação não tem estes gastos, sendo uma das razões para o remédio manipulado custar bem mais barato (até 80% menos que o remédio industrializado).

 O remédio manipulado é confiável? 
Sim. A matéria prima que utilizamos na manipulação é adquirida dos mesmos distribuidores que fornecem para a indústria. Além do mais as farmácias de manipulações obedecem a uma rigorosa legislação que estipula controles de qualidade e normas de funcionamento que conferem mais qualidade aos produtos manipulados.

 É possível manipular qualquer medicamento? 
Não. Existem produtos que são patenteados pela indústria e que não estão disponíveis para o mercado de manipulação. A “lei das patentes” determina que a indústria que desenvolveu um determinado fármaco tem a exclusividade de comercialização deste produto durante vários anos, para que possa recuperar todo o investimento que fez em pesquisa. Neste período, nem as farmácias de manipulação nem outras indústrias tem acesso a essa matéria-prima. Decorrido este prazo, o produto entra em “domínio público” e pode então ser comercializado por todos.

 O que é revestimento entérico? 
O revestimento entérico é uma técnica utilizada para impedir que a cápsula se dissolva no estômago, fazendo com que os princípios ativos sejam liberados no intestino. Esta técnica é importante porque alguns medicamentos irritam o estômago ou sofrem a ação do suco gástrico, sendo degradados por este.
Remédios como a sulfassalazina, por exemplo, exigem revestimento entérico ou terão seu efeito reduzido ou anulado. A Passiflora realiza este revestimento sempre que o princípio ativo assim o exige.

 É possível fazer medicamentos de liberação lenta na farmácia de manipulação?
Sim, é possível. Existem alguns adjuvantes farmacêuticos que adicionados à formulação retardam a liberação dos fármacos e conseqüentemente sua absorção. No entanto, a farmácia não consegue determinar qual será o tempo de liberação destes produtos, pois isso exige testes sofisticados que só a indústria consegue fazer em lotes grandes de medicamentos produzidos.

 Por que existem diferenças de preços entre as farmácias de manipulação? 
O preço do medicamento manipulado não é controlado por isso cada farmácia pratica um preço diferente.
A formação do preço deve levar em consideração não só o custo da matéria-prima, mas todo o custo de produção. Quanto mais estruturada a farmácia, maiores são os seus custos, porém maior garantia de qualidade a farmácia pode oferecer. Por isso antes de mandar manipular um medicamento procure visitar os laboratórios e conhecer melhor as condições em que ele será produzido.

 Por que a validade dos medicamentos manipulados é sempre pequena? 
O remédio manipulado é feito sempre de acordo com uma receita médica e atende a um tempo determinado de tratamento. Eles são produtos extemporâneos, isto é, não são feitos para durar. Portanto, devem ser tomados imediatamente após a manipulação. Restos de medicamentos não devem ser guardados. Se o problema voltar, procure novamente o seu médico (não repita a receita).

 Por que, às vezes, o número de cápsulas manipuladas é maior do que o médico receitou? 
Isso ocorre porque a quantidade de princípio ativo que o médico prescreveu não cabe dentro de uma única cápsula, tendo que ser dividido em duas, três ou mais cápsulas. Quando isto ocorrer, tome o dobro ou o triplo da dosagem recomendada pelo seu médico, seguindo a orientação da farmácia e do rótulo.

 Por que, às vezes, a cor e o tamanho das cápsulas mudam para o mesmo medicamento? 
Não existe padronização de cor e tamanho de capsulas na manipulação. Além disso, nem sempre existem cápsulas do mesmo tamanho e da mesma cor disponíveis no mercado. Neste caso a farmácia pode colocar o medicamento dentro de cápsulas diferentes, o que não interfere na sua dosagem e no seu efeito.

 Posso repetir a receita quando o medicamento acabar? 
Somente se o médico anotar na receita “uso contínuo” ou “receita válida por X meses”. Mesmo as doenças crônicas (pressão alta, diabetes, problemas cardíacos, etc) precisam de acompanhamento no mínimo uma vez por ano. Por isso, procure o seu médico regularmente para avaliação do quadro clínico e para que ele emita uma nova receita (peça para ele anotar na receita por quanto tempo o remédio deve ser tomado). Caso contrário, a farmácia não poderá manipular o seu medicamento.

 Posso recomendar o meu remédio para outra pessoa? 
Não. Mesmo que o medicamento tenha feito bem para você jamais o indique para outra pessoa, pois ele foi formulado para o seu uso pessoal. Também não tome remédio por conta própria ou por indicação de amigos, parentes ou vizinhos. A automedicação pode trazer consequências bastante graves para sua saúde.

 Por que, às vezes, o pote de creme vem pela metade ou quase vazio? 
Isso ocorre porque a quantidade de creme solicitada pelo médico é de acordo com a necessidade do paciente e às vezes a farmácia não disponibiliza embalagens para volumes muito pequenos.

 O que fazer quando tiver alguma dúvida em relação ao medicamento? 
Procure sempre o farmacêutico. Ele é profissional habilitado para orientá-lo corretamente. Se o problema for com o medicamento ele poderá resolver, caso contrário o encaminhará para o médico.

 Posso consumir bebidas alcoólicas durante o tratamento? 
Preferencialmente não. O álcool pode interferir no efeito ou na absorção do seu medicamento, atrapalhando o tratamento.

 Posso parar de tomar o medicamento quando me sentir melhor? 
Não, somente pare de fazer uso do medicamento depois de decorrido o prazo estabelecido pelo seu médico.

 Se a dor estiver forte, posso aumentar a dosagem? 
Não, nunca altere a posologia ou a dosagem do seu medicamento sem autorização do seu médico. 

 Posso associar medicamentos? 
Às vezes esta é uma prática perigosa, pois os medicamentos podem interagir entre si. Alguns podem potencializar o efeito dos outros ou às vezes até diminuir o seu efeito. Se você estiver tomando algum medicamento, avise o seu médico no ato da consulta. Se precisar de outra medicação durante o tratamento, avise o seu médico sobre o remédio que já está tomando.

 Posso tomar o medicamento se estiver grávida ou amamentando? 
Informe ao seu médico se existir a possibilidade de você estar ou ficar grávida durante o tratamento. Ele a orientará sobre o que fazer. Informe também se estiver amamentando.

 Por que um creme, xampu ou loção manipulado em outra farmácia tinha consistência, cor e cheiro diferentes? Houve erro na manipulação? 
Geralmente não. As bases, cores e cheiros não são padronizados entre as farmácias de manipulação. Cada qual faz o produto de acordo com sua arte. Isto, no entanto, não influi de forma significativa na qualidade do produto, pois os princípios ativos adicionados a estas bases é que determinam a ação do medicamento. Existem casos, no entanto, em que determinados princípios ativos devem ser feitos com uma base específica e a farmácia deve ter conhecimento técnico para utilizar a base correta.

 A farmácia de manipulação faz genéricos? 
Não. O medicamento para ser considerado genérico tem que passar por diversos testes de laboratório para que seu efeito seja idêntico ao do medicamento de referência. Só após os testes de absorção e biodisponibilidade é que o medicamento pode ser considerado um genérico. O medicamento manipulado tem características próprias, é feito na quantidade e dosagem que o médico pedir, mas às vezes apresenta biodisponibilidade diferente do medicamento de referência, portanto não pode ser considerado um genérico.

 Como deve ser a receita médica para manipulação? 
O médico deve prescrever os medicamentos com os seus nomes químicos, com as quantidades de cada produto da fórmula e com o número de cápsulas (ou creme) a ser manipulado. A farmácia não pode manipular um medicamento que tenha sido prescrito com o seu nome comercial. Também é ilegal a prescrição de fórmulas em códigos (fórmula G-79, por exemplo), pois isto impede o consumidor de exercer o seu direito de escolha.

 A farmácia pode manipular um medicamento através da bula de um remédio industrializado? 
Não. O nome comercial de um medicamento é propriedade da indústria que o produziu e manipular um remédio utilizando-se de uma bula é contra a lei. Infelizmente algumas farmácias não éticas fazem isso, causando prejuízo para a indústria e levando as pessoas a automedicação.

 Por que algumas receitas ficam retidas na farmácia? 
Existem alguns medicamentos que são controlados pelo Ministério da Saúde como calmantes, antidepressivos, moderadores de apetite, antibióticos, etc. Estas receitas de controle especial ou as notificações coloridas ficam retidas na farmácia e estes medicamentos só poderão ser repetidos com a apresentação de uma nova receita.

 Como escolher uma farmácia de manipulação? 
Alguns critérios são importantes e devem ser levados em consideração: 
* Verifique se tem farmacêutico presente. Converse com ele.
* Verifique se é uma farmácia ética.
* Verifique a higiene. Peça para conhecer os laboratórios para ver onde serão manipulados os seus medicamentos.
* Pesquise e procure o preço justo sem abrir mão da qualidade do medicamento. 
* Exerça o seu direito de escolha.

 OUTRAS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: 
Certifique-se que o medicamento que você acabou de receber está em seu nome; 
Verifique se a embalagem está lacrada e se estão impressos no rótulo a fórmula prescrita pelo médico, assim como o modo de tomar e a validade do medicamento; 

Caso tenha dúvida de como usar este medicamento, fale com o farmacêutico; 
Respeite os horários de administração do medicamento; 

Observe os componentes da fórmula para comprovar que você não tem hipersensibilidade (alergia) a algum deles; 
Em caso de cremes, procure utilizar a espátula que acompanha o pote, pois existem determinados componentes que se oxidam caso o produto seja contaminado com as mãos; 

Observe os avisos de advertência. Alguns cremes, por exemplo, precisam necessariamente ser mantidos em geladeira.
Proteja sempre seus medicamentos da umidade e do calor e mantenha-os longe do alcance de crianças; 
Algumas fórmulas que utilizam princípios ativos de origem vegetal (como tinturas ou cápsulas de produtos naturais) podem ter sua coloração variável de acordo com a época da colheita da planta;

Quando a farmácia não dispuser de algum dos componentes de sua fórmula, ela poderá mandar preparar o medicamento em outra farmácia de confiança; 

Eventuais atrasos na entrega de sua fórmula podem ocorrer quando faltar alguma matéria prima ou quando o médico tiver que ser contatado para resolver algum problema técnico. Pedimos e agradecemos a compreensão.

Manipulação e Genéricos

Nos últimos anos muito se tem falado em medicamentos manipulados, genéricos, similares, de referência, etc, gerando uma confusão de termos que vamos tentar esclarecer.
 

 Medicamento manipulado: 
É aquele produzido artesanalmente, numa farmácia de manipulação, de acordo com uma receita, onde o médico prescreve o nome do princípio ativo, sua concentração e a quantidade de produto que ele deseja ver manipulado.

 Medicamento de Marca ou de Referência:
É aquele medicamento industrializado que primeiro foi lançado no mercado e que tem o seu efeito já bastante conhecido pelos médicos e pela população. Este medicamento passou a ser utilizado como referência para a produção de outros remédios similares ou genéricos.

 Medicamento Genérico: 
Produzido nos moldes do medicamento de referência, possui a mesma apresentação, concentração, posologia, etc. sendo submetido a testes de bioequivalência e biodisponibilidade para verificar se apresenta a mesma absorção e, portanto, o mesmo efeito do medicamento de referência. Só após estes testes ele pode ser considerado um medicamento genérico.

 Medicamento Similar: 
Também possui a mesma apresentação de um medicamento de referência, porém não passou pelos testes de biodisponibilidade, podendo apresentar pequenas variações de absorção e de efeito em relação ao medicamento de referência.

 
Vantagens e Desvantagens:
Nos últimos anos muito se tem falado em medicamentos manipulados, genéricos, similares, de referência, etc, gerando uma confusão de termos que vamos tentar esclarecer.
 

 Medicamento de Referência:
Por ser o remédio mais antigo tem os seus efeitos já bastante conhecidos, porém é um medicamento mais caro, pois em seu preço estão embutidos todos os gastos em pesquisas, propaganda, etc.

 Medicamento Similar: 
É mais barato que o de referência, porém não passou pelos testes de biodisponibilidade e, portanto pode ter pequenas variações no efeito em relação ao medicamento de referência.

 Medicamento genérico: 
É praticamente idêntico ao de referência, custando em média 30% mais barato.

 Medicamento manipulado:
É um produto artesanal e apresenta algumas vantagens como:
- Custa até 80% menos que o medicamento de referência.
- Pode ser adequado às necessidades do paciente (dosagens, associações, etc).
- Também é um medicamento de confiança, pois as farmácias são inteiramente responsáveis por aquilo que produzem.