Amamentação: existem alimentos que as mães devem evitar neste período?

Amamentação: existem alimentos que as mães devem evitar neste período?

Write By: admin Published In: ROOT Created Date: 2015-10-05 Hits: 1068 Comment: 0

Amamentação

Não existem alimentos proibidos. Cada bebê reage de maneira diferente à amamentação e é impossível saber previamente quais são os alimentos que causam choro, irritabilidade, gases, reações alérgicas nos bebês ou recusa do seio materno. O melhor é observar as reações de cada um e adequar a dieta da mãe às reações dos recém-nascidos. Muitos deles não apresentam nenhuma reação negativa aos alimentos ingeridos pela mãe.

Diferenças culturais geram opiniões diversas acerca dos alimentos que podem causar sintomas nos bebês. Muitas mães, ao pensarem que determinado alimento pode causar transtornos, tendem a atribuir a este alimento qualquer problema que apareça, o que pode trazer prejuízos aos seus filhos como a privação de certos nutrientes.

O melhor é comer de maneira variada e saudável durante a amamentação, não ingerir vários alimentos “suspeitos” na mesma refeição e observar o comportamento do bebê. Caso tenha ficado uma dúvida, tente ingerir este alimento separado e observe o seu filho em um outro dia. Veja se a reação que foi atribuída ao alimento ocorreu novamente. Alguns alimentos podem causar reações no início da amamentação, mas depois de uns meses não apresentarem o mesmo efeito, por isso devem ser novamente experimentados.

Algumas mães relatam uma ocorrência maior de reações nos bebês com a ingestão de determinados alimentos. São eles:

  • Brócolis, couve, couve-flor, couve-de-bruxelas, repolho, nabo, mostarda e outras hortaliças da família das crucíferas, além dos pimentões e pepino. Apesar de muito ricos em nutrientes, podem alterar o sabor do leite, causar a formação de gases ou irritação em alguns bebês.
  • Aspargos, cebola, alho e pimenta podem alterar o sabor do leite. Muitos bebês podem gostar desta alteração de sabor, mas é aconselhável observar a aceitação do seio. A lactante não deve exagerar em temperos e condimentos sem antes saber quais são as reações do seu filho a determinados sabores.
  • O leite e seus derivados (queijo, iogurte, manteiga, etc) podem causar reações alérgicas em alguns bebês. São reações raras e mais prováveis de ocorrerem caso haja história familiar de alergia. Os sintomas podem aparecer em minutos ou até horas após a mamada. Podem aparecer como diarreia, reações na pele, gases, coriza ou congestão nasal e tosse.  Se houver suspeita de alergia, a mãe deve suspender a ingestão destes alimentos e procurar ajuda médica com o pediatra da criança. Muitas vezes, uma suspensão temporária, por cerca de duas semanas, seguida do retorno progressivo da ingestão é suficiente para resolver o problema. O médico deve orientar este procedimento de acordo com o que foi observado em cada bebê e com a sua história familiar de alergias. Os produtos à base de soja (leite de soja e tofu) ou a suplementação de cálcio podem ser opções nos casos em que estes alimentos precisem ser suspensos da dieta da mãe.
  • O chocolate pode causar irritabilidade e aumentar o peristaltismo intestinal do bebê.  O consumo deve ser ocasional e moderado para todas as pessoas e a lactante não é uma exceção. Se a lactante notar que o seu filho reage mal, deve deixar de consumir chocolate enquanto estiver amamentando.
  • Frutas cítricas como laranja, limão, tangerina, morango e kiwi podem levar a desconfortos, vômitos, diarreia, irritação na pele, coriza ou congestão nasal.  Se estes sinais forem evidentes, a lactante deve retirar alguns alimentos suspeitos da sua alimentação por uma semana e reintroduzi-los um a um até descobrir a fruta “suspeita”, que pode ser eliminada da dieta durante a amamentação.
  • As leguminosas (feijões, grãos, favas e lentilhas) são ricas em nutrientes, mas podem causar a formação de gases em certos bebês. Caso isso ocorra, a nutriz pode, inicialmente, variar a qualidade, reduzir a quantidade e fracionar entre as refeições o consumo dos alimentos deste grupo. Se não houver resultados positivos, pode ser necessário deixar de consumi-los temporariamente. 
  • Alimentos que mais frequentemente causam alergia em bebês são: leite e seus derivados, trigo, frutas cítricas, milho, nozes, avelãs, amendoins, amêndoas e mariscos. Para evitar tais reações, a lactante deve evitar todos os alimentos que causem alergia nela mesma, no pai do bebê e estar atenta às reações do recém-nascido.  No caso de reações evidentes, a nutriz deve cortar o consumo dos referidos alimentos e receber orientações específicas acerca da substituição deste alimento ou grupo de alimentos por outros.

Não há razão para iniciar uma dieta para perder o peso adquirido durante a gravidez enquanto a mãe está amamentando. Isto pode comprometer a produção do leite materno e prejudicar a nutrição do bebê. Além disso, o ato de amamentar faz perder calorias e ajuda no emagrecimento materno.

Toda lactante deve tentar descansar durante os períodos de sono do recém-nascido e deixar os outros afazeres para pessoas que possam ajudá-la. Isto prolonga o tempo da amamentação e colabora para a melhor produção de leite.

Mães vegetarianas devem consultar um nutricionista e adequar a sua dieta para o período do aleitamento, para que não deixem de ingerir as vitaminas e os minerais necessários a ela e ao bebê.

Medicamentos, fumo, bebidas alcoólicas ou outras drogas não combinam com a amamentação e devem ser evitados.